Novos tempos

Estou esperando o sinal. Do outro lado da rua tem uma moça bem bonita, de saia. Bate um vento forte e a saia voa. Meu reflexo é abrir um sorrisão e pensar: wooohooo! Mas isso não é o correto, presto muita atenção ao que as moças escrevem no Facebook sobre comportamento masculino. Então viro a cara pro lado, com ar sério e expressão grave. Dou de frente para outro sujeito, que está com um sorrisão na cara, olhando a saia que voa da moça bonita. O sujeito vê a minha expressão grave e pensa que a moça é minha mulher, minha irmã ou minha filha. Imediatamente ele também vira a cara. Agora somos dois olhando pro lado, onde está uma senhorinha, também esperando o sinal. Esta vê a cena da moça da saia voando e dois homens com a cara virada e dá um sorrisão.
Não consegui decifrar se era de aprovação, ironia ou sarcasmo.

2 thoughts on “Novos tempos

  1. É de admiração, pode ter certeza.

  2. Hoje estava parada em um sinal. Muito raro eu sair de saia, mas o calor dessa primavera está afetando meus costumes e pudores e lá fui eu vestida de pétalas para o centro da cidade. Ao parar em um sinal, percebo um moço bonito do outro lado. De repente, sinto uma brisa desabrochar minha saia.

    Observei que o rapaz inicialmente fez com as pálpebras o que o vento fez com a minha corola. Não queria polinizar-me, certamente, mas, devo confessar, senti uma deliciosa presença de borboletas. Qual foi a minha tristeza ao vê-lo virando o rosto como se gametas fossem assim vistas facilmente da mesma forma que as folhas ou fossem feias e grossas como os caules.

    Assim como a felicidade, a tristeza dura pouco e logo percebi que o homem ao lado estava alegre como um passarinho com a promessa da visão de algo além do que mostramos sem os sopros no asfalto. Porém, alguma coisa fria como a chegada do inverno passou por aquele rosto e este, como o anterior, abandonou-me. Oras. Para que serve uma flor se não for admirada?

    Mas a vida é mesmo surpreendente e ao lado desses dois homens secos como o outono, estava uma senhora que admirava de forma cúmplice meu tímido momento marilyn monroe. Aprovou a minha sensualidade com seu sorriso. Ao abrir o sinal, quis abraçá-la por haver me encorajado a posar para aquela fotografia.

    Mas ela libélu-la.

Deixe uma resposta