#NãoVaiTerCopa, o musical

CENA I

Numa sala de aula de faculdade vários estudantes discutem o que fazer na Copa. Ninguém se entende. Sininho (Interpretada por Tatá Werneck) entra de sopetão e interrompe o debate: “Chega de jogar conversa fora! Vamos acabar logo com isso! Não vai ter Copa!  Vamos para a rua protestar!” Os outros alunos, embevecidos com a beleza, o carisma e os planos da sua musa, cantam em uníssono o funk “Descontrolada”. Sininho dança em cima da mesa do professor:

“Ela sobe, ela desce, ela dá uma rodada
Elas estão descontroladas
Ela sobe, ela desce, ela dá uma rodada
Elas estão descontroladas

Não pára, não pára, não pára, não
Não pára, não pára, não pára, não
Não pára, não pára, não pára, não pára
Até o chão”

CENA II

No palácio do Planalto, Dilma (Tônia Carrero) está alegremente pendurando bandeirinhas verde e amarelas para enfeitar o gabinete, alheia aos protestos. Entra na sala o prefeito Eduardo Paes (Marcelo Adnet) que aparece para convidar a presidente para a final. Dilma pergunta se as obras estão prontas. Eduardo finge que não escuta, canta “É hoje” e tira a presidente para dançar.

“A minha alegria atravessou o mar
E ancorou na passarela
Fez um desembarque fascinante
No maior show da terra
Será que eu serei o dono dessa festa
Um rei
No meio de uma gente tão modesta
Eu vim descendo a serra
Cheio de euforia para desfilar
O mundo inteiro espera
Hoje é dia do riso chorar”

CENA III

Três Black Blocs, Detrito ( Miguel Falabella), Rodox (Ney Latorraca) e Game Over (Paulo César Peréio), estão num conjugado de Copacabana, preparando coquetéis Molotov. Discutem a melhor maneira de acabar com a festa. Querem conciliar o seu niilismo com uma exibição pirotécnica. Decidem pôr fogo no Maracanã. Na final. “Vamos queimar esse sistema decadente!” exulta Rodox. Game Over abre a janela, olha a paisagem e canta “Força estranha”. O vizinho interfona para reclamar do barulho.

“Eu vi um menino correndo
Eu vi o tempo
Brincando ao redor
Do caminho daquele menino…

Eu pus os meus pés no riacho
E acho que nunca os tirei
O sol ainda brilhaaaaaaaaaaaaa na estradaaaaaaa
E eu nunca passei…”

CENA IV

Final da Copa do Mundo, o cenário é o Maracaña lotado. Dilma e Eduardo estão sorridentes na tribuna de honra, acenam para a multidão, alheios às vaias. Sininho conseguiu entrar disfarçada de gandula. Seu plano é invadir o campo na entrega do troféu e abrir uma faixa de protesto. A faixa está em branco, é um protesto contra tudo.

Quarenta e cinco minutos do segundo tempo. Neymar ( Gregório Duvivier) se prepara para bater o pênalti que dará a vitória ao Brasil. Game Over, Rodox  e Detrito entram no campo correndo, seguram o craque e ameçam incendiar o estádio com os coquetéis Molotov. Silêncio total. Na arquibancada Dilma e Eduardo continuam acenando felizes, alheios ao que acontece no campo. A polícia não sabe o que fazer. Uma tragédia se anuncia.

Siderados pelos holofotes e pela súbita notoriedade, os black blocs não percebem a aproximação sorrateira de Sininho, que, arrependida, resolveu mudar de lado. Ela derruba os três piromaníacos e os amarra com a faixa de protesto, salvando a final. A torcida, em transe, comemora. Neymar e Sininho se abraçam. A bateria da Mangueira entra em campo e todos, inclusive os black blocs, cantam “Aquarela do Brasil”.

“Ah! abre a cortina do passado
Tira a mãe preta do cerrado
Bota o rei congo no congado
Brasil! Pra mim!

Deixa cantar de novo o trovador
A merencória luz da lua
Toda canção do meu amor

Quero ver a sá dona caminhando
Pelos salões arrastando
O seu vestido rendado
Brasil! Pra mim, pra mim, pra mim!”

No meio da festa desaparece a taça. Todos são presos como suspeitos.

FIM

2 thoughts on “#NãoVaiTerCopa, o musical

  1. regina mas disse:

    hahahahahahahaha
    Vai ficar lindo… e serão convidados a se apresentarem na Broadway…
    Você é criativo…!!!
    Adorei o “finge que não escutam” e o “alheios às vaias” e mais… “a policia não sabe o que fazer…”
    Êta despreparo de todos os lados…
    Se no país do futebol nem as tais arenas e entornos ficaram totalmente prontos a tempo o que se pode esperar do resto?
    Seu musical pode ser uma ópera bufa.
    Haja paciência!
    abços… regin@

  2. Ligia disse:

    Engraçado, sempre pensei em Tatá Werneck pra fazer a Sininho.

Deixe uma resposta